quinta-feira, 18 julho, 2024

Pacheco é favorito, mas disputa pela presidência do Senado ficou acirrada

Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil

Rogério Marinho, candidato da oposição, conta com apoio do Republicanos, do Partido Liberal e do Progressistas

A eleição na Câmara está definida. Arthur Lira será reeleito até com o apoio do governo para o cargo. Lira conquistou o apoio porque o governo Lula avaliou ser muito arriscado fazer um enfrentamento e perder a disputa. A expectativa do Palácio do Planalto é ter um bom canal de diálogo com Arthur Lira, um parlamentar experiente, pragmático e que comanda os partidos do chamado centrão que deram sustentação e apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro.

No Senado a disputa deve ser acirrada. Rodrigo Pacheco do PSD e atual presidente do Senado tem o apoio do governo Lula para se manter no cargo e é o favorito. O Blog conversou com o líder do governo no Congresso, senador Randolfe Rodrigues, e a expectativa dele é de que Pacheco tenha “45 ou no máximo 50” votos. Já Rogério Marinho, senador eleito pelo Partido Liberal, conta com o apoio do Republicanos e do Progressistas para tentar conquistar a vitória. Somados os partidos, tem 23 senadores. Mas fontes ligadas ao PL afirmam que Marinho tem atualmente cerca de 30 votos e Pacheco, em torno de 34.   

Vence a disputa aquele que receber votos da maioria absoluta da Casa (41 senadores). Se nenhum candidato alcançar esse apoio, os dois mais votados vão para o segundo turno.

 

Por: R7

Veja também

- Publicidade -

WebRádio Plenitude

Últimas Notícias

- Publicidade -